PT | EN

Exposição Comemorativa

Centenário da Empresa Transformadora de Lãs, Lda. (1920-2020)  

 

21 de setembro a 31 de dezembro de 2020 | Real Fábrica de Panos

 

Celebramos em simultâneo o Centenário da Empresa Transformadora de Lãs, Lda. (1920-2020) e o início de um novo ano letivo 2020-2021 na Universidade da Beira Interior com uma exposição comemorativa e documental dedicada a esta antiga fábrica covilhanense.

Habita agora, neste edifício alvo de reabilitação inaugurado em 13 de junho de 2000, a Faculdade de Engenharia da UBI, que celebra igualmente 20 anos. A exposição está patente no Átrio contíguo ao Núcleo da Real Fábrica de Panos e ao Anfiteatro das Sessões Solenes do Pólo 1, de 21 de setembro a 31 de dezembro. Estão em mostra muitos testemunhos materiais da “Empresa Transformadora de Lãs, Lda.” que fazem parte dos acervos museológicos e documentais do Museu de Lanifícios, como objetos do escritório da fábrica, equipamentos têxteis, azulejaria, fotografias, plantas de fachadas e de interiores, bem como correspondência que evidencia a imagem gráfica e alguns aspetos relevantes da vida da fábrica.

Convidamos as comunidades da academia e da cidade a passarem pela exposição e conhecerem um pouco mais da história da Covilhã que, neste momento, acolhe tantos jovens oriundos da região e de outras zonas do país.

Saiba mais aqui sobre a história da Empresa Transformadora de Lãs, Lda.


 

Exposição e Oficinas de Desenho

Desenhos da Vida

Organização de Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior

e Projecto Pontes

 

21 de fevereiro a 19 de abril 2020 | Real Fábrica Veiga (Galeria)

Inauguração: 21 de fevereiro (17h00)

 

 

Mapas – Desenhos da Vida é um projeto que compreende a investigação, a seleção e a recolha das memórias das pessoas seniores.

Procura promover sessões de Desenho com o objetivo de estimular nos participantes a ativação da memória de uma geração que nunca se exprimiu através desta forma de arte, tornando simultaneamente presente um património imaterial esquecido e que, através do desenho, se expõe na sua autenticidade.

O Projecto Pontes e o Museu de Lanifícios da UBI convidam os visitantes/participantes a descobrir os arquivos dos Desenhos da Vida, resultado das sessões de desenho realizadas nas freguesias de Caria (Belmonte), Vila Franca das Naves e Feital, que estarão patentes ao público na Galeria do Núcleo da Real Fábrica Veiga, a partir de 21 de fevereiro, pelas 17h00, até 19 de abril.

 

O Projecto “Mapas – Desenhos da Vida”

O projeto artístico do Projecto Pontes teve início em 2008, em Vila Franca das Naves, com a autoria e acompanhamento de Maria Lino e de Carlos Fernandes.

O projeto foi retomado em 2017 para organizar e documentar sessões de desenho contínuas que possam vir a constituir um levantamento etnográfico de populações de diferentes regiões.

Nos grupos de participantes, maioritariamente de idade avançada, as pessoas são chamadas a desenhar de memória lembranças de histórias, objetos e ambientes vividos.

Em 2020, o projeto "Mapas – Desenhos da Vida" será realizado no Museu de Lanifícios/Núcleo da Real Fábrica Veiga e as sessões de desenho, com a coordenação do Projecto Pontes, darão ênfase às memórias dos antigos trabalhadores da indústria de lanifícios.

Ver Cartaz e Folha de Sala

Projecto Pontes

Coordenação Geral - Carlos Fernandes | Direção Artística - João Castro Silva | Direção Executiva – Pedro Januário | Produção Executiva - Flávio Delgado | Comunicação / Imagem - Ana Rodrigues | Coordenação Científica / Comuna - Pedro Miguel Salvado | Coordenação Científica / Campus Jardim das Pedras - João Paulo Fidalgo | Cinema Juventude - António Lopes | Coordenação de Programação do Município do Fundão - Miguel Rainha

 

Filmes

Filme - 2017
"Desenhos da Vida, Caria", por Ana Rodrigues
https://youtu.be/dkFtkhUNnMs

Filme - 2009
"Desenhos da Vida, O Desenho como Documento Etnográfico", por Carlos Fernandes
https://youtu.be/8zm-fVlaHY4

Saber mais aqui


Datas
De 21 de fevereiro a 19 de abril de 2020 (ainda está patente ao público) | De terça-feira a domingo, das 9h30-12h00 e das 14h30-18h00

Local
Museu de Lanificios da Universidade da Beira Interior
Núcleo da Real Fábrica Veiga (Galeria de Exposições)
Calçada do Biribau, s/n (ao Parque da Goldra), 6201-001 Covilhã
GPS: 40º 16' 37" N 7º 30' 29" W  

Acesso
Entrada livre


 Exposição / Instalação

Draperies

De João Castro Silva

Desde 8 de fevereiro de 2018 | na Real Fábrica Veiga (Área Arqueológica)

 

 

Draperies

Em escultura, por draperie entende-se todo o tipo de indumentárias ou tecidos que representem conjuntos de pregas. Intimamente ligado à representação do corpo humano, as draperies contribuem para a caracterização individual de caracteres. A dinâmica da draperie e a sua capacidade expressiva têm sido continuamente explorados pelos escultores na diferenciação de tipo humanos, proporções, gestos e atitudes.

As draperies acentuam também a perceção de movimento e criam uma maior quantidade de zonas de luz e de sombra sem as quais uma escultura poderá não ter mais que uma tonalidade uniforme de cinzentos.

A plasticidade natural dos tecidos e a possibilidade de com eles se criar uma enorme variedade de tonalidades, fruto da relação entre côncavos, convexos e a luz, permite a exploração do claro/escuro no tratamento de superfícies escultóricas.

João Castro Silva, 2017

Ver Cartaz e Convite

Consultar a Folha de Sala aqui

Local
Museu de Lanifícios da UBI / Núcleo da Real Fábrica Veiga (Área Arqueológica)
Calçada do Biribau, s/n (ao Parque da Goldra), 6201-001 Covilhã
GPS40º 16' 37" N 7º 30' 29" W  

Datas
Desde 8 de fevereiro de 2018

Horário
De terça a domingo, das 9h30 às 12h00 e das 14h30 às 18h00

Condições de acesso
Entrada livre e gratuita


Instalação artística

Corrente, de Micaela de Vivero

 

Desde 24 de abril de 2018 | Real Fábrica de Panos (Tanque de Água)

 

A existência de abundantes cursos de água na covilhã foi uma das razões fundamentais para a implantação da indústria têxtil na cidade. Por esta razão, durante este mês de residência artística no Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior, olhei para o uso e o recurso da água.

Com esta obra, intitulada Corrente, quero salientar a importância da água no processo de criação têxtil, assim como a beleza do espaço do tanque de água, uma estrutura arquelógica preservada. Com cor e direcionalidade, quero criar a possibilidade de imaginários sobre a presença iminente da água.

Micaela de Vivero (24 de abril de 2018)

Nota biográfica

Micaela de Vivero é natural do Equador e reside atualmente em Ohio, nos E.U.A., onde é professora na Universidade de Denison. O seu trabalho tem sido exposto, individual e coletivamente, em vários países: Equador, Colômbia, Brasil, E.U.A., Espanha, Portugal, Irlanda, Finlândia, Áustria, Suíça, Bulgária, Arménia e Portugal.

Realizou, durante abril de 2018, uma residência artística no Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior.

Ver Folha de sala

Local
Real Fábrica de Panos (Tanque de Água) | Rua Marquês d'Ávila e Bolama, 6201-001 Covilhã -- Portugal

Horário
De terça-feira a domingo, das 9h30 - 12h00 e das 14h30 - 18h00

Condições de ingresso
Entrada livre e gratuita