PT | EN

 Encontro Internacional de Arte e Paisagem de Montanha

Montanha Mágica

 

2 a 9 de novembro de 2018 | Real Fábrica de Panos e Real Fábrica Veiga

Inauguração das Exposições/Instalações Artísticas: 8 de novembro (18h00)

 

Entre 2 e 9 de novembro, na Universidade da Beira Interior (UBI), Covilhã, irá decorrer o 1º Encontro Internacional sobre Arte e Paisagem de Montanha "Montanha Mágica". São parceiros na organização deste evento: UBI | LabCom.IFP, o Grupo de Artes da UBI (Covilhã, Portugal) e a UPV|LaSia da Universidade do País Basco (Bilbau, Espanha). Como entidades convidadas,também participam o Projeto Entre Serras (PES) e a École Supérieure d’Art d’Aix en Provence (ESAAIX).

No âmbito deste Encontro Científico, serão inauguradas no dia 8 de novembro (quinta-feira), pelas 18h00, um conjunto de exposições/instalações artísticas nos dois núcleos do Museu de Lanifícios da UBI, que contam com as presenças de Regina Gouveia (Vereadora da Cultura da Câmara Municipal da Covilhã), Rita Salvado (Diretora Interina do Museu de Lanifícios), Rita Sixto, org. (Universidade do País Basco, Espanha), Francisco Paiva, org., e Catarina Moura (Faculdade de Artes e Letras da UBI).

Saiba + sobre o programa geral do evento.

Real Fábrica de Panos

// Veva Linaza | Pintar con y en la Natureleza (até 5 de dezembro)
// António Santos | De Montanha a Montanha (até 5 de dezembro) 
// Ana Pascoal | Montanhas no meu Caminho (até 5 de dezembro)
// Francisco Paiva | A Forma da Montanha (até 5 de dezembro)

Real Fábrica Veiga

// Daniel Moreira e Rita Castro Neves | Residir e Atravessar (até 30 de novembro)
// Colectiva PES com Rodrigo Braga, Erik Samakh (Instalação - Pirilampos) e Micaela Vivero (Corrente) | com os resultados do Workshop Walking the Data (até 17 de dezembro)

Ver Cartaz Montanha Mágica e Cartaz PES.

Local
Museu de Lanifícios da UBI
Núcleo da Real Fábrica de Panos (Rua Marquês d'Ávila e Bolama, 6201-001 Covilhã)
Núcleo da Real Fábrica Veiga (Calçada do Biribau, s/n, 6201-001 Covilhã)
Tel.: + 351 275241411 (Geral) / E.mail: muslan@ubi.pt (Geral) | www.facebook.com/museu.delanificios

Horário
De terça-feira a domingo, das 9h30-12h00 e das 14h30-18h00, incluindo feriados.

Datas
De 8 de novembro a 17 de dezembro de 2018.

Acesso
Entrada livre e gratuita. Para todas as idades.


Instalação artística

Corrente, de Micaela de Vivero

 

Desde 24 de abril de 2018 | Real Fábrica de Panos (Tanque de Água)

 

A existência de abundantes cursos de água na covilhã foi uma das razões fundamentais para a implantação da indústria têxtil na cidade. Por esta razão, durante este mês de residência artística no Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior, olhei para o uso e o recurso da água.

Com esta obra, intitulada Corrente, quero salientar a importância da água no processo de criação têxtil, assim como a beleza do espaço do tanque de água, uma estrutura arquelógica preservada. Com cor e direcionalidade, quero criar a possibilidade de imaginários sobre a presença iminente da água.

Micaela de Vivero (24 de abril de 2018)

Nota biográfica

Micaela de Vivero é natural do Equador e reside atualmente em Ohio, nos E.U.A., onde é professora na Universidade de Denison. O seu trabalho tem sido exposto, individual e coletivamente, em vários países: Equador, Colômbia, Brasil, E.U.A., Espanha, Portugal, Irlanda, Finlândia, Áustria, Suíça, Bulgária, Arménia e Portugal.

Realizou, durante abril de 2018, uma residência artística no Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior.

Ver Folha de sala

Local
Real Fábrica de Panos (Tanque de Água) | Rua Marquês d'Ávila e Bolama, 6201-001 Covilhã -- Portugal

Horário
De terça-feira a domingo, das 9h30 - 12h00 e das 14h30 - 18h00

Condições de ingresso
Entrada livre e gratuita


 Exposição / Instalação

Draperies

De João Castro Silva

Desde 8 de fevereiro de 2018 | na Real Fábrica Veiga

Inauguração: 8 de fevereiro (17h00-18h30)

Draperies

Em escultura, por draperie entende-se todo o tipo de indumentárias ou tecidos que representem conjuntos de pregas. Intimamente ligado à representação do corpo humano, as draperies contribuem para a caracterização individual de caracteres. A dinâmica da draperie e a sua capacidade expressiva têm sido continuamente explorados pelos escultores na diferenciação de tipo humanos, proporções, gestos e atitudes.

As draperies acentuam também a perceção de movimento e criam uma maior quantidade de zonas de luz e de sombra sem as quais uma escultura poderá não ter mais que uma tonalidade uniforme de cinzentos.

A plasticidade natural dos tecidos e a possibilidade de com eles se criar uma enorme variedade de tonalidades, fruto da relação entre côncavos, convexos e a luz, permite a exploração do claro/escuro no tratamento de superfícies escultóricas.

João Castro Silva, 2017

Ver Cartaz e Convite

Consultar a Folha de Sala aqui

Local
Museu de Lanifícios da UBI / Núcleo da Real Fábrica Veiga (Área Arqueológica)
Calçada do Biribau, s/n (ao Parque da Goldra), 6201-001 Covilhã
GPS40º 16' 37" N 7º 30' 29" W  

Datas
Desde 8 de fevereiro de 2018 (Prolongamento)

Horário
De terça a domingo, das 9h30 às 12h00 e das 14h30 às 18h00

Condições de acesso
Entrada livre