PT | EN

Dia Mundial da Criança

 

1 de Junho de 2022 | Real Fábrica Veiga

 

No próximo dia 1 de junho e, como não poderia deixar de o fazer, o Museu de Lanifícios da UBI associa-se a este dia festivo e convida as escolas dos ensinos pré-escolar e 1º ciclo  e o público em geral a participarem na atividade educativa que oferecemos: O Ciclo da Lã.

Esta atividade pretende promover os ofícios associados aos processos de transformação da lã e estimular o contacto das crianças e do público em geral com esta fibra natural, de origem animal, de qualidade suprema.

Será uma excelente oportunidade de observar as várias operações que a lã atravessa até ser produzido um tecido. Mas também será possível colocar as mãos na lã e experienciar as várias operações de uma forma lúdica e divertida.

Estaremos preparados para os receber na Real Fábrica Veiga entre as 10h00 e as 12h30 (escolas) e as 14h30-17h (público em geral), mas é necessário inscrição prévia para o e-mail muslan@ubi.pt.

Para a inscrição há que indicar os seguintes dados:

  • 10h00 - 12h30: Escolas: nome da Escola, nome da pessoa de contacto, endereço de e-mail, nº de telefone e, mais importante, o ano, a idade e o número de crianças.
  • 14h30-17h: Público em geral: nome das pessoas, idade, nº de telefone.

Ver Cartaz

Mais informações
Museu de Lanifícios da UBI
Núcleo da Real Fábrica Veiga
Calçada do Biribau, s/n (ao cimo do Parque da Goldra)
6022-001 Covilhã -- Portugal
Tel.: 275 241411 / 275 241410 | E-mail: muslan@ubi.pt
Redes Sociais: Facebook.com/museu.delanificios | Instagram/@museudelanificios


 

Dia Internacional dos Museus 2022

O Poder dos Museus

18 Maio 2022   

 

Este ano, o tema proposto pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), promotor do evento a nível mundial, é "O Poder dos Museus" e visa demonstrar o impacto positivo destes espaços culturais num mundo em mudança, quando o impacto económico, político e social da guerra na Ucrânia se junta aos efeitos da pandemia da COVID-19. O objetivo, segundo o ICOM, “destacar o poder transformador dos museus e o seu importante papel na construção de um futuro melhor” (ICOM, 2022). De facto, estas instituições podem usar recursos humanos e patrimoniais para produzir mudanças positivas na sociedade e nas comunidades onde se inserem. É o mote para promover, junto da sociedade, "uma reflexão sobre o papel dos museus no seu desenvolvimento" (DGPC).

Em Portugal, dezenas de entidades respondem ao repto da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), para que os museus nacionais e da rede portuguesa criem programações especiais para estas datas, que passaram a ter uma oferta presencial e online.

Com atividades gratuitas presenciais e on-line, este ano oferecemos entradas livres e visitas guiadas aos núcleos do Museu e ao património industrial da ribeira da Goldra na «Covilhã, Cidade Fábrica», bem como uma oficina on-line sobre “O ciclo da lã” e exposições temporárias para todos os públicos e idades. O programa comemorativo do Museu de Lanifícios proporciona deste modo aos seus visitantes a fruição de uma experiência cultural diferente. Um dia especial para comemorar o papel dos museus no desenvolvimento das comunidades e da sociedade em geral.

PROGRAMA

// 10h00-13h00 / 14h00-18h00

Da manufactura à industrialização dos lanifícios | Visitas livres às Reais Fábricas da Covilhã (Real Fábrica de Panos e Real Fábrica Veiga) para todas as idades.

Também poderá desfrutar das seguintes exposições temporárias na Real Fábrica Veiga:

  • Esculturas e Fotografias «Deconstruction and Surrealism», de Beata Kotecka (Polónia)
  • Fotografias «O Património da Covilhã - Um outro Olhar», de Manuel Ferreira Rodrigues

// 11h00 e 15h00

Da manufactura à industrialização dos lanifícios | Visitas guiadas às Reais Fábricas da Covilhã (Real Fábrica de Panos e Real Fábrica Veiga) para as famílias e o público em geral.

Com início na Real Fábrica de Panos (Rua Marquês d'Ávila e Bolama) e conclusão na Real Fábrica Veiga (Calçada do Biribau), tem a duração 1h30-2h.

Não é necessário inscrição prévia.

// 15h00-15h30 (30 min.)

Oficina on-line “O Ciclo da Lã” (via Zoom) para todas as idades.

É necessário inscrição prévia para o e-mail muslan@ubi.pt.

//16h00-17h00

Itinerário cultural da Covilhã, Cidade-Fábrica

Percurso pedestre pelo Património Industrial da Ribeira da Goldra > Com início na Real Fábrica de Panos e conclusão na Real Fábrica Veiga, tem a duração de 1h e percorre-se uma distância de c. 2 Km.

É necessário inscrição prévia para o e-mail muslan@ubi.pt.

//17h00-18h00

Exposição coletiva de trabalhos artísticos

Janela da Diversidade | Doutorandos do 2º ano em Media Artes (UBI) e a coordenação de Francisco Paiva e Manuela Penafria (Departamento de Artes da FAL/UBI)

 Cartaz DIM2022 do ICOM

Saiba + sobre as atividades do DIM2022 Portugal aqui.

 

Para mais informações e inscrições

E-mail: muslan@ubi.pt

Tel.: 275241411 / 275241410


À Descoberta do Turismo Industrial

no Museu de Lanifícios da UBI
de 8 a 14 de abril

A iniciativa «À descoberta do Turismo Industrial», promovida pelo Grupo Dinamizador da Rede Portuguesa do Turismo Industrial, decorre de 8 a 14 de abril de 2022, através da realização de atividades que proporcionam a descoberta do património industrial ou da indústria viva que caracterizam e diferenciam os territórios de Portugal. As atividades que integram a Agenda Nacional do evento são dirigidas a todos, incluindo às famílias que, nesta semana desfrutam das férias da Páscoa, e que poderão assim usufruir de experiências autênticas e originais de Turismo Industrial.

O Turismo Centro de Portugal apresenta uma Agenda, que pode ser consultada aqui, com as entidades desta região a contribuir para a diversificação da oferta de atividades turísticas no território Centro de Portugal que proporcionam a descoberta do património industrial ou da indústria viva experienciando-se uma nova forma de conhecer o território.

Consulte a Agenda e participe partindo À Descoberta do Património Industrial no Museu de Lanificios da Universidade da Beira Interior, na Covilhã Cidade Fábrica!

Atividades de Turismo Industrial e Indústria Viva no Museu de Lanifícios (Consulte o Preçário aqui)

// Visitas guiadas ao Museu de Lanifícios «Da Manufactura à Industrialização dos Lanifícios»

Horário: de 8 a 14 de abril, de terça a domingo, às 11h

Na Real Fábrica de Panos, mergulhe no ambiente de uma tinturaria setecentista, classificada como Imóvel de Interesse Público. As antigas tinturarias pombalinas reconstituem os processos manufactureiros do fabrico e do tingimento dos tecidos da lã mais utilizados em Portugal no final do século XVIII. A Real Fábrica Veiga apresenta a evolução tecnológica ocorrida nos lanifícios após a Revolução Industrial e as transformações económicas e sociais do mundo fabril nos séculos 19-20. Afirma-se como centro de interpretação da Rota da Lã – TRANSLANA.
A visita inicia-se na Real Fábrica de Panos (35 min) e prossegue na Real Fábrica Veiga (50 min), sendo igualmente possível visitar apenas uma das duas.
O acesso entre os dois núcleos é efetuado a pé pelo exterioratravés de uma escadaria e/ ou calçada em paralelos.

// Rota da Lã: percursos pela Covilhã, Cidade Fábrica

Datas e Horário: 8, 12, 13 e 14 de abril, às 17h30
Ponto de Encontro: Real Fábrica de Panos

Através de três percursos pela cidade da Covilhã, o Museu dos Lanifícios convida a explorar um património industrial que testemunha uma rica memória histórica, acolhe um vigorante campus académico e integra indústria têxtil em laboração, enquanto cruza as criações de arte urbana do festival Wool, que homenageia a cidade e as vivências em torno da lã.

Percurso 1: Covilhã Cidade Fábrica | Pela Ribeira da Goldra | 8 de abril (17h30)

Este itinerário acompanha as margens e imediações da ribeira da Goldra, também conhecida como a “ribeira dos Pisões”. Para além das fábricas reais setecentistas, hoje núcleos do Museu de Lanifícios, dáse a conhecer um vasto património industrial que inclui edifícios fabris, estendedouros e râmolas de sol, chaminés e maquinismos, bairros de operários e outras infraestruturas, como tanques e levadas. O percurso revela a influência da intervenção pombalina na icónica Real Fábrica de Panos, na zona sul da cidade.

Percurso 2: Covilhã Cidade Fábrica | Pela Ribeira da Carpinteira | 12 e 13 de abril (17h30)
Troço A: 12 de abril
Troço B: 13 de abril

A partir da Real Fábrica de Panos, este itinerário ruma em direção a uma das áreas de maior concentração fabril da cidade, a ribeira da Carpinteira. Junto a esta ribeira, esteve implantada a primeira manufatura de Estado, a “Fábrica de Sarjas e Baetas”. Nas imediações e ao longo deste curso de água, entre os séculos XVIII e XX, chegaram a concentrar-se 47 complexos/edifícios fabris, alguns dos quais se destacaram como modelos de arquitetura fabril, bem como pela modernização tecnológica e pela elevada produção e qualidade dos produtos fabricados.

Percurso 3: Covilhã Cidade Fábrica | Pelo Centro Histórico |14 de abril (17h30)

Ao percorrer as ruas do centro da Covilhã descobrem-se marcas que perpetuam as suas mais recuadas memórias laneiras, como a rua do Peso da Lã e a travessa do Tinte. Neste itinerário, ainda se vislumbram casas que lembram as antigas oficinas domésticas de tecelões. Passa-se por muitas antigas fábricas de tecelagem e por armazéns de tecidos. Descobrem-se ainda as sedes de algumas instituições que revelam a importância deste setor industrial na cidade.

// Oficinas Têxteis no Museu de Lanifícios
Datas e Horário: 8, 9, 12, 13 e 14 de abril: 15h
Duração: 2 h
Nº participantes: min. 4 / máx. 10
Local: Real Fábrica Veiga/Centro de Interpretação dos Lanifícios, Calçada do Biribau, s/n (ao Parque da Goldra), 6201-001 Covilhã 40.27698, -7.50778

Oficinas:

1. Técnicas e Corantes Naturais (8 de abril)
2. O Ciclo da Lã (9 de abril)
3. Feltragem (12 de abril)
4. A arte do Debuxo (13 de abril)
5. O Ciclo da Lã (14 de abril)

Contactos
Tel.: 275 241411 / 275 241410

E-mail: muslan@ubi.pt



 

V Encontro Indústria, História, Património 

5th Meeting Industry, History, Heritage

6 a 8 de abril de 2022

Inscrições até 5 de abril através de formulário próprio

Assista no Canal do Youtube do Museu

 

O V Encontro Indústria, História, Património realizar-se-á de 6 a 8 de abril de 2022 no Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior, na Covilhã.  Pretende-se que este encontro seja um Fórum de discussão aberto e pluridisciplinar, dedicado à apresentação de estudos no domínio da história da indústria, compreendendo a caracterização dos seus diversos setores e atividades: dos atores que a promoveram; os trabalhadores e as suas memórias e o património associado, contemplando edifícios e maquinaria, oficinas, fábricas, minas e locais de processamento e de refinação, entrepostos e armazéns, centros de produção, transmissão e utilização de energia, meios de transporte e todas as estruturas e infraestruturas; assim como os locais onde se desenvolveram atividades sociais relacionadas com a indústria, bem como a memória associada a todos estes processos.

O V Encontro inclui uma menção particular às comunidades que direta ou indiretamente se relacionaram com os processos de industrialização. Interessa analisar como eram compostas estas comunidades; em que medida influenciaram e foram influenciadas por aspetos políticos, económicos, centíficos e tecnológicos e/ou culturais em diferentes momentos históricos; que tipo de ligações se estabeleceram entre comunidades nacionais e internacionais e com que objetivos; de que forma marcaram o território onde se inseriam, ou ainda se inserem; que legado deixaram e de que forma é hoje, ou não, vivenciado; e quais os principais desafios que estas comunidades vivem atualmente.

Convidam-se todos os interessados que tenham como objetivos a divulgação de trabalhos no âmbito da história da indústria e do património a participar neste Encontro, que procurará refletir sobre estas problemáticas, considerando o contexto político, económico, social, cultural e geográfico em que se inserem.

PROGRAMA DO V ENCONTRO IHP

6 de Abril

// 16h00 | Sessão de Abertura

  • Mário Raposo, Reitor da Universidade da Beira Interior
  • Vítor Pereira, Presidente da Câmara Municipal da Covilhã
  • Susana Menezes, Diretora Regional de Cultura do Centro
  • Maria Fernanda Rollo, NOVA FCSH/CFE-UC, Coordenadora Indústria, História e Património
  • José Ricardo Carvalheiro, FAL/UNL, Vice-Coordenador do LabCom/UBI
  • Elisa Calado Pinheiro, Fundadora do Museu de Lanifícios da UBI, HTC-NOVA/FSCH, CFE-UC
  • Rita Salvado, Diretora do Museu de Lanifícios da UBI

// Lançamento das Atas do IV Encontro Indústria, História e Património: sustentabilidade

// 16h30 | Mesa Redonda "Valorização do Património Industrial"

Moderação: Nuno Francisco (Diretor do Jornal do Fundão)

Participantes:

  • Elisa Calado Pinheiro (Fundadora do Museu de Lanifícios da UBI, HTC-NOVA FCSH/CFE-UC
  • Maria Fernanda Rollo (HTC-NOVA FCSH/CFE-UC)
  • Graça Filipe (HTC-NOVA FCSH/CFE-UC)
  • Leonor Medeiros (APAI, NOVA FCSH)
  • Manuel Ferreira Rodrigues (Universidade de Aveiro)
  • Francisco Paiva (FAL/UBI, LabCom/UBI, Diretor Executivo da Candidatura da Covilhã a Cidade Criativa da UNESCO em Design)
  • Isabel Costa (Burel Factory)
  • João Carvalho (FITECOM)
  • Rita Salvado (Diretora do Museu de Lanifícios da UBI)

// 18h00 | Inauguração da Exposição de Fotografia "Património da Covilkhã: um outro olhar", de Manuel Ferreira Rodrigues, na Galeria de Exposições da Real Fábrica Veiga

// 19h00 | Visita orientada ao Museu de Lanifícios (Núcleo da Real Fábrica Veiga) por Elisa Calado Pinheiro (Fundadora e Diretora do Museu, 1992-2011)

 

7 de Abril

// 10h00 | Sessão de Abertura

// 10h15 - 11h00 | Painel 1 - O "saber-fazer" como património

  • 10h15 | O debuxador: criatividade e técnica, Jorge Trindade (Debuxador e Formador)
  • 10h30 | A tecelagem tradicional das mantas de lã em Mértola. Como assegurar a continuidade do saber-fazer?, Lígia Rafael (Museu de Mértola)

// 11h00 - 11h15 | Pausa para café

// 11h15 - 12h15 | Painel 2 - Museus, património e comunidades

  • 11h15 | Das fábricas para o Museu: A voz da memória, Ana Paula Gonçalves (Baía do Tejo, S.A.)
  • 11h30 | A industrialização da escrita: projeto de musealização da Tipografia União, Maria Alexandra Gonçalves (Universidade do Algarve e CinTURS - Research Centre for Tourism, Sustainability and Well-being) e Patricia Palma (CHAM-NOVA FCSH e HTC-NOVA FCSH/CFE-UC)
  • 11h45 | Covilhã - A importância do desenvolvimento de atividades educativas na inclusão da comunidade no Património Industrial, Beatriz Correia Barata (Museu de Lanifícios da UBI)

// 12h00 - 12h15 | Debate

// 12h15 - 13h45 | Almoço

// 13h45 - 14h40 | Painel 3 - Flash Talks: apresentação de investigações, projetos e atividades em curso

  • Museografia da Fábrica da Baleia do Porto Pim - Um novo projeto, para uma nova narrativa sobre baleação e conservação do cachalote, Carla Dâmaso (Observatório do Mar dos Açores - Museu da Fábrica da Baleia)
  • Mulheres da Baleia, Helena Bulcão (Observatório do Mar dos Açores - Museu da Fábrica da Baleia)
  • A Cidade e o Ferro - I Simpósio de Escultura do Entroncamento, João Duarte (Volver - Programação Cultural em Rede)
  • A produção de lanifícios na Ribeira da Carpinteira, Covilhã - uma perspectiva arqueológica, Rodrigo Dias (NOVA FCSH)
  • A chaminé de Cristelo, Luís Dias (Universidade de Évora)
  • O fim do Tinte Velho na Covilhã, António Pinto Pires (Investigador independente)

// 15h00 - 18h00 | Visita pela Rota da Lã: património industrial da «Covilhã Cidade Fábrica»

  • Percurso pedestre pela Ribeira da Goldra e pelo Centro Histórico, com Rita Salvado (Museu de Lanifícios da UBI)
  • Visita ao Museu da Covilhã (Câmara Municipal da Covilhã
  • Visita ao New Hand Lab (antiga Fábrica de António Estrela)

8 de Abril

// 10h00 - 11h00 | Painel 4 - Memória e História Oral

  • 10h00 | Memórias do trabalho. A desindustrialização na fileira têxtil do Vale do Ave. O caso da Fábrica de Fiação e Tecidos de Santo Tirso, Nuno Olaio (Câmara Municipal de Santo Tirso)
  • 10h15 | Delphi em Ponte de Sor: a humanização da Fábrica - a História Oral para o seu estudo, Sandra Pereira (Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra)
  • 10h30 | Transient Boundaries: audiovisual reenactment and the representation of the memory of (in)tangible industrial heritage, Frederico Dinis (CES20-Centre for Interdisciplinary Studies, University of Coimbra)

// 10h45 - 11h05 | Debate

// 11h00 - 11h15 | Pausa para Café

// 11h15 - 12h15 | Painel 5 - Património Industrial e Território I

  • 11h15 | A ponte-cais do Mexilhoeiro: marco do arranque industrial no Barreiro Oitocentista, Fernando da Motta (Câmara Municipal do Barreiro, Universidade de Évora) e Paulo Guimarães (Unversidade de Évora)
  • 11h30 | Os aquedutos na paisagem e no turismo industrial, Pedro Inácio (Conservador do Museu da Água da EPAL)
  • 11h45 | El Patrimonio Hudráulico del Tajuña a su paso por Morata, Diego Martín de Torres (Universidad de Alcalá, Universidade da Beira Interior)

// 12h00 - 12h15 | Debate

// 12h15 - 14h00 | Almoço

// 14h00 - 15h00 | Painel 6 - Património Industrial e Território II

  • 14h00 | A Antiga Fábrica da Telha de Fontelas do Vouga: vivências de um operário dos anos 50, Joana Margarida Marques (Universidade de Évora)
  • 14h15 | Compelxo do Gasómetro do Brás/Origem e preservação, Silvia Wolff (Universidade Presbiteriana Mackenzie)
  • 14h30 | O vidro na Marinha Grande: Histórias da IVIMA - Aspectos Económicos, Tiago Inácio (Museu do Vidro da Marinha Grande e Câmara Municipal da Marinha Grande)

// 14h45 - 15h00 | Debate

// 15h00 - 16h00 | Painel 7 - Locais, atores e testemunhos do património industrial

  • 15h00 | A indústria portuguesa pelo olhar da fotografia na viragem do século XIX para o século XX, Hugo Silveira Pereira (CIUHCT - NOVA School of Science and Technology)
  • 15h15 | Santo André: um património industrial da pesca do bacalhau, Pedro Miguel Silva e Jorge Pereira (Museu Marítimo de Ílhavo)
  • 15h30 | Indústria Trofense: Quem e onde?, José Pedro Reis (Faculdade de Letras da Univerisdade do Porto)

// 15h45 - 16h00 | Debate

// 16h00 - 16h15 | Pausa para Café

// 16h15 - 17h15 | Painel 8 - Sociedade, ética e pensamento: olhares sobre a atividade industrial

  • 16h15 | O lucro e a responsabilidade social do empresário industrial: reflexões em torno da ética empresarial no pensamento económico português do último quartel do século XIX, Alcino Pedrosa (HTC - NOVA FCSH/CFE-UC e CEHR-UCP)
  • 16h30 | O catolicismo no meio operário - o caso da peninsula de Setúbal nos anos 60-70, João Pereira (HTC-NOVA FCSH/UNL, CFE-UC e CEHR-UCP)
  • 16h45 | Perceção da cultura de design na indústria do calçado em Portugal: Agentes de transferência de conhecimento e de visão, Hugo Palmares (ID+, Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto), Miguel Terroso (ID+, Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura, Escola Superior de Design, Instituto Politécnico do Cávado e do Ave) e Emília Dias da Costa (ID+, Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto)

// 17h00 - 17h15 | Debate

// 17h15 | Encerramento dos trabalhos

 


 

Calendarização

Submissão de propostas: até 8 de março de 2022

  1. Propostas de comunicação individuais: https://url.gratis/T3uTLe
  2. Painéis temáticos (3 a 4 comunicações): https://url.gratis/XLtoFY
  3. Flash Talks (individuais): https://url.gratis/y9QOmJ

Notificação da aceitação de propostas: 15 de março de 2022
Prazo para inscrições: 5 de abril de 2022 (Link para formulário de inscrição
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc_rCWFgOZmcY8kdpI4KVbKi1NtKIrMWyFAUxCnBhoFOF0yLA/viewform

Comissão Organizadora:
Maria Fernanda Rollo
Sofia Diniz
Ana Carina Azevedo
Catarina Neto
Catarina Santos
Diogo Ferreira
Elisa Calado Pinheiro
Pedro Fernandes

Comissão Científica:
Ana Cardoso de Matos (CIDEHUS - UE)
Carlos Manuel Faísca (UC)
Elisa Calado Pinheiro (HTC - NOVA FCSH)
Graça Filipe (HTC-NOVA FCSH e Câmara Municipal do Seixal)
Jorge Custódio (HC-NOVA FCSH)(a confirmar)
José Manuel Brandão (HTC-NOVA FCSH)
Leonor Medeiros (APAI)
Manuel Ferreira Rodrigues (UA)
Maria da Luz Sampaio (HTC-NOVA FCSH)
Maria Fernanda Rollo (HTC - NOVA FCSH)
Marta Lourenço (MUHNAC e CIUHCT)
Miguel Areces (INCUNA)
Rita Salvado (UBI)

 

Saiba + em https://historia-patrimonio-industria.blogspot.com/p/encontros-nacionais.html

Ver Cartaz