PT | EN

No Museu de Lanifícios

Semana da Ciência e da Tecnologia | 20 a 26 de novembro

De 20 a 26 de Novembro, durante a Semana da Ciência e da Tecnologia, muitas instituições científicas, universidades, escolas e museus abrem portas, proporcionando ao público oportunidades de observação científica e de contacto pessoal com especialistas de diferentes áreas do conhecimento.

O Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior associa-se a esta iniciativa com uma palestra/conferência destinada ao público em geral e três workshops de exploração de duas matérias-primas fundamentais na indústria de lanifícios, a lã e a água, destinadas às escolas.

Programa

Palestras | Conferências

Evocando José Mendes Veiga (1762-1817), fundador da Real Fábrica Veiga, no bicentenário da sua morte

// 23 de novembro

Com a presença de Elisa Calado Pinheiro (Instituto de História Contemporânea da UNL) e de Joana Lopes Dias (Museu de Lanifícios da UBI), teremos uma palestra comemorativa do bicentenário da morte de José Mendes Veiga, que data de 15 de novembro de 1817. Cristão-novo, natural de Belmonte, foi defensor de ideais liberais, negociante de lãs e panos que fundou, em 1784, uma manufactura de tinturaria e acabamentos de tecido junto à ribeira da Goldra. Por ter obtido privilégios reais, passou a ser designada como "Real Fábrica Veiga", atualmente é um espaço museológico da Universidade da Beira Interior.

Acesso: entrada livre
Local: Auditório do Núcleo da Real Fábrica Veiga

Oficinas Pedagógicas

Workshop Ciência da Água

// 22 de novembro (09h30-12h00)

Na oficina "Ciência da Água" podem-se criar bolas gigantes de sabão, simular um tornado, produzir magia com um copo de água e formar um aquafone, entre outras experiências em que o mote é a água.
Na cidade e concelho da covilhã, as águas abundantes e límpidas permitiram o desenvolvimento de oficinas de tinturaria e de engenhos de cardar e de fiar lãs junto das duas principais ribeiras: Carpinteira, a norte, e Goldra, a sul. Mas a própria força da água proporcionou à Covilhã a força motriz necessária para que, com as suas rodas hidráulicas, se movimentassem de forma mecânica as máquinas que desencadearam a industrialização dos lanifícios em toda a região da serra da Estrela.

Acesso: inscrição prévia, com uma semana no minímo de antecedência (no local, por telefone ou por e-mail).
Público-alvo: alunos dos ensinos pré-escolar e básico (5 a 10 anos)
Nº máx. de participantes: 30
Local: Oficina Têxtil do Núcleo da Real Fábrica Veiga

Workshop Colorir a lã

// 23 de novembro (09h30-12h00)

Os corantes e os mordentes, químicos ou naturais, são os responsáveis pelo tingimento da lã com diversas cores e tonalidades.
Na Oficina Têxtil da Real Fábrica Veiga, serão feitas algumas experiências que explicam como se tinge a lã, os fios e os tecidos com corantes naturais e químicos. Para complementar esta atividade e ajudar as crianças a assimiliar os conceitos apreendidos são realizadas atividades lúdicas e educativas adicionais, de acordo com as idades e/ou os ciclos de ensino em que se integram.

Acesso: inscrição prévia, com uma semana, no minímo, de antecedência (no local, por telefone ou por e-mail)
Público-alvo: alunos dos ensinos pré-escolar e básico e secundário (5 a 10 anos)
Nº máx. de participantes: 30
Local: Oficina Têxtil do Núcleo da Real Fábrica Veiga

Workshop Feltragem com água e sabão

// 21 de novembro (09h30-12h00)

A feltragem é uma atividade ancestral que continua, nos dias de hoje, a desafiar artistas e artesãos a moldar a matéria-prima . Desafia-nos também cada vez que lavamos uma camisola em lã.
A capacidade de feltrar é uma característica de algumas lãs e resulta da morfologia da superficie das fibras. É que as fibras de lã apresentam escamas na sua superfície, que impedem as fibras de deslizar livremente umas sobre as outras.
Nesta oficina, recorrendo à técnica de água e sabão, os participantes vão produzir um feltro, observado o efeito direcional da fricção entre fibras. Ao controlarem o fenómeno de feltragem, aprendem também a evitar o encolhimento indesejado durante a lavagem das peças de lã. No final, levarão para casa o objeto em feltro que produziram.

Acesso: inscrição prévia, com uma semana, no minímo, de antecedência (no local, por telefone ou por e-mail)
Público-alvo: alunos dos ensinos pré-escolar e básico (5 a 10 anos)
Nº máx. de participantes: 30
Local: Oficina Têxtil do Núcleo da Real Fábrica Veiga

 


Contactos:
Museu de Lanifícios da UBI / Núcleo da Real Fábrica Veiga
Calçada do Biribau, s/n (ao Parque da Goldra), Covilhã
Tel. - +351 275 241 411 l E-mail - muslan@ubi.pt