PT | EN

 Exposição de Ilustrações em Aguarela

Pássaros Cantores ou Passeriformes

Luísa Ferreira Nunes

20 de julho a 15 de setembro de 2018 | Real Fábrica Veiga (Galeria)

Inauguração: 20 jul. 2018 (17h)

  

SINOPSE

Os passeriformes são a maior ordem de aves. De facto, mais de metade das 10 000 espécies conhecidas de aves do mundo são passeriformes, também designados por aves de empoleirar ou aves de poleiro.

Encontram-se, entre os membros desta ordem, aves de dimensões pequenas e médias. A forma do bico varia bastante, dependendo do respetivo tipo de alimentação. As pernas são demonstrativas da origem arborícola das aves canoras. Apresentam três dedos para a frente e um virado para trás mais flexível e que é chamado de hálux, permitindo pousar em ramos de árvores. Esta ordem pode ser encontrada em todas as regiões do planeta e ostenta uma ampla variedade de cores, padrões e formas! Na sua dieta, os pássaros consomem principalmente sementes, frutas, néctar, insetos, outras pequenas aves, répteis e ainda invertebrados marinhos. Ocasionalmente, podem alimentar-se de animais em decomposição ou restos de comida humana. De metabolismo acelerado, estas aves precisam de consumo frequente de alimento.

Como forte valor estético, os passeriformes são tema significativo no folclore, poesia, música, escultura e pintura. São também responsáveis por propagar e distribuir plantas através da polinização de flores ou transportando sementes viáveis ​​para novos locais.

Várias características do habitat como a topografia, vegetação, disponibilidade de água, locais de nidificação e outras estruturas naturais, bem como artificiais são decisivas para a diversidade e fixação de passeriformes numa região.

Esta exposição, que se inspira nas ilustrações do 9º Diário da Natureza 2018, expõe passarinhos cantores, paisagens e plantas, numa abordagem de traço simples e de cores intensas.

Nota sobre a autora

Luísa Ferreira Nunes é doutorada em ecologia e professora de entomologia na Escola Superior Agrária (ESACB) do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Os seus interesses passam pela história natural, biomimetismo e documentários de natureza. Tem feito parte de varias expedições científicas pelo mundo e através da escrita naturalista e ilustração procura incentivar o interesse pela conservação de espécies e habitats.

Ver Cartaz e E-convite


Local
Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior
Calçada do Biribau, s/n (ao Parque da Goldra), 6201-001 Covilhã
Tel.: 275 241411 (SEDE) / 275 241410 | E-mail: muslan@ubi.pt

Datas
De 20 de julho a 15 de setembro de 2018

Horário
Terça a domingo, das 9h30-12h00 e das 14h30-18h00

Acesso
Entrada livre e gratuita